Na última quarta-feira (18) a Amazon, maior empresa de varejo eletrônico dos Estados Unidos, iniciou a venda de eletrônicos no Brasil no modelo de marketplace. A entrada da varejista norte-americana neste segmento deixou o mercado agitado, inclusive gerando alguns reflexos no desempenho financeiro de seus principais concorrentes.

A empresa disponibilizou em seu marketplace produtos como smartphones, computadores, tablets, videogames e acessórios para celular. A decisão de ofertar estes produtos não é por acaso: segundo o último relatório WebShoppers, do Ebit, essas categorias juntas representaram 41% do volume de faturamento do comércio eletrônico brasileiro no primeiro semestre de 2017.

Além disso, apenas a categoria de telefonia e celulares apresentou um crescimento de 35% em pedidos e de 43% em faturamento no primeiro semestre de 2017 em comparação com o mesmo período de 2016. Tudo indica que a entrada da Amazon neste segmento é uma soma de planejamento com oportunidade.

Tudo indica que a entrada da Amazon neste segmento é uma soma de planejamento com oportunidade.

A Amazon é referência em e-commerce e marketplace. Ratificada como a terceira marca mais valiosa do mundo, ela é reconhecida por oferecer ótimas experiências de compra aos seus usuários, e dentre tantas questões trabalhadas pela organização para proporcionar uma experiência incrível ao usuário está garantir que seu site não seja lento para carregar.

Em seu último estudo sobre tempo de carregamento de e-commerces, a Akamai disse que a Amazon foi uma das primeiras empresas a prestar atenção em como os segundos (e, em muitos casos, menos que isso) podem impactar métricas como conversão, bounce rate, receita e vendas – no caso desta última, apenas um segundo de lentidão no carregamento pode gerar uma perda de US$ 1,6 bilhão em vendas ao ano para a Amazon. Os insights gerados pelas análises sobre performance são usados pela varejista para oferecer aos seus clientes experiências de compra cada vez melhores.

A Amazon sabe que seu e-commerce tem muitos acessos, então a empresa realmente leva a sério a questão do carregamento do seu site. Ou, como diria uma reportagem da Forbes, “na era da Amazon, entender o impacto da velocidade de carregamento de páginas em métricas como engajamento e conversão é um componente crítico para se manter competitivo”.

Qual o impacto de ter um site lento?

Nós, da One Day Testing, já atuamos em diversos projetos relacionados à performance de websites e entendemos bem sobre como não ter um site lento é essencial para que você tenha um e-commerce competitivo. Sendo assim, montamos um estudo para evidenciar por que é importante que profissionais de e-commerce se preocupem com este tema.

Veja no infográfico abaixo alguns dos fatos que identificamos:

Infográfico Site Lento e Black Friday

Em dias comuns do ano, as informações acima já são preocupantes. Porém, não esqueça da Black Friday! Estamos a um mês e meio do evento; você acha mesmo que a Amazon não está preparando condições arrebatadoras para esta data?

Já contribuímos para o sucesso de diversos e-commerces com nossos testes de carga e stress e também podemos ajudar você a se manter competitivo e a conquistar resultados sensacionais na maior data do varejo brasileiro!

Por isso, estamos com uma condição especial para você que quer garantir que o tempo de carregamento de seu e-commerce não atrapalhe seus resultados durante a Black Friday. Quer saber mais? Clique no botão abaixo e entre em contato conosco!

 

Imagem de capa: Kevork Djansezian/Getty Images.