Já ouviu falar dos beacons? Bom, eles são pequenos aparelhos que emitem informações por Bluetooth de acordo com a proximidade, usando a tecnologia “indoor proximity system” (sistema de proximidade em ambientes fechados, em tradução livre).

Na prática, beacons não conseguem detectar a localização geográfica exata de um consumidor, mas eles conseguem emitir sinais para dispositivos que estejam próximos deles, em um determinado raio, oferecendo uma opção de comunicação entre a sua empresa e o seu público.

A tradução literal para beacon é “farol”, palavra que remete à maneira como ele emite sinais para o seu entorno. Para entender melhor, imagine que você se interessa por uma roupa exposta numa vitrine. Ao se aproximar da loja, o seu telefone pode receber informação sobre promoções ou outras cores nas quais a peça exposta está disponível, sem que você tenha que entrar na loja para perguntar.

IoT - Internet of Things

Outro exemplo é em um supermercado. Ao se aproximar de determinado produto, seu smartphone pode receber receitas que levam esse ingrediente. Os beacons também podem ser usados em restaurantes para oferecer cardápios pelo celular.

Segundo o Impacta, os beacons não armazenam informações e também não capturam dados dos aparelhos para os quais enviam notificações. Eles apenas enviam sinais ― a privacidade do usuário é garantida.

Onde mais eu posso usar beacons?

  • Mobilidade urbana: Na estação do metrô ou no ponto de ônibus, passageiros podem receber dados com horários e locais de embarque e desembarque das linhas;
  • Turismo: colocados nos pontos turísticos e históricos das cidades, os beacons podem transmitir curiosidades ou um pouco da história do local, e até sugestões do próximo ponto a ser visitado;
  • Localizador pessoal: ao prender um beacon em um objeto, como a chave de casa por exemplo, você pode localizá-lo com seu celular. O aplicativo vai mostrar a distância que você está do objeto procurado;
  • Networking: beacons já são usados em eventos corporativos no mundo afora para enviar informações de contato da empresa quando os participantes chegam, como se fosse uma entrega do cartão de visita, por exemplo;
  • Cinema: assim como no exemplo da vitrine da loja, é possível transmitir para os visitantes de um cinema promoções de combos de pipocas e filmes em cartaz;
  • Bares e restaurantes: já imaginou poder acessar o cardápio diretamente no seu celular? Os beacons podem transmitir cardápio, promoções e até o contato de uma rede social do estabelecimento;
  • No hospital: na Suíça, o beacon já substitui a prancheta com o prontuário dos pacientes no Hospital Universitário de Lausanne. Cada quarto do hospital tem um beacon que envia para os smartphones dos médicos e dos enfermeiros as informações de medicamentos e procedimentos.

app beacon tools

Já teve gente usando beacon até em casamento! Na hora da noiva jogar o buquê, tudo foi feito por aplicativo associado ao beacon para determinar a proximidade da convidada que pegou o prêmio, a próxima a se casar. O autor dessa ideia explica como fez aqui.

Com a vantagem de serem financeiramente acessíveis, os beacons podem ser instalados em paredes, vitrines e até mesmo em produtos. Eles emitem sinais por meio do bluetooth 4.0, conhecido como “bluetooth low energy”. Essa tecnologia consome menos bateria do que o bluetooth tradicional.

Os sinais são recebidos por aplicativos em smartphones Android ou iOS, smartwatches e tablets, oferecendo algo para o usuário. Para receber uma notificação, seu cliente precisa estar com o bluetooth ativado e precisa ter o aplicativo da sua loja instalado. Não é necessário que o aplicativo esteja aberto.

Segundo o Impacta, os beacons não armazenam informações dos aparelhos para os quais enviam notificações. Eles apenas enviam sinais, sem capturar dados – a privacidade do usuário é garantida.

Como os beacons impactam na experiência do usuário?

Como a tecnologia do beacon é personalizável, você pode enviar informações de acordo com as preferências do seu usuário, baseadas no uso que ele já faz do seu aplicativo, do seu histórico de compras ou da frequência com que ele visita seu comércio. Isso resulta em experiências mais interessantes para fidelizar cada vez mais seu cliente.

É importante ressaltar que toda a inteligência usada nessa ação precisa ser criada pelo aplicativo já instalado no dispositivo que vai interagir com o beacon. Ou seja, os clientes atingidos são aqueles que já conhecem sua marca e já têm algum contato com ela, promovendo uma experiência especial e exclusiva.

Sendo assim, empresas que criam aplicativos preparados para operar com tecnologia beacon já precisam planejar iniciativas para que os consumidores saibam quais são as vantagens em ter a app instalada ao visitar uma loja, um evento ou um show.

A Internet das coisas está inferindo cada vez mais no comportamento das pessoas, como o Júlio, meu sócio, explicou aqui. Os beacons são um bom exemplo disso, fazendo uma ponte entre o seu aplicativo e o smartphone do seu consumidor.

Podemos te ajudar na orientação sobre essa tecnologia! Estou disposto a tirar suas dúvidas e analisar o seu projeto. Me mande um e-mail em bruno.abreu@sofist.com.br ou ligue em (19) 3291-5321 para conversarmos. Será um prazer ajudá-lo! =)