Quer ter maior retorno? Desenvolva aplicativos mais leves

As lojas de aplicativos estão cheias de ofertas. É difícil encontrar um nicho inexplorado, o que torna a disputa pela atenção — e pelo download — do usuário muito mais acirrada.

Nesse cenário, cada detalhe conta. A apresentação, os recursos oferecidos, o custo e os reviews de outros usuários são alguns deles. Existe um outro, não tão comentado, mas importante, do qual trataremos neste artigo: o tamanho do instalador.

Menos é mais

Economia e eficiência são características apreciadas em incontáveis indústrias. Um carro que consome menos combustível tem um fator de venda atraente para potenciais consumidores. Um notebook que entrega bom desempenho e consegue passar horas sem que seja preciso recarregar sua bateria, idem.

Em software, essa vantagem não é tão alardeada pelos departamentos de marketing, mas importa no subconsciente dos usuários e nas estatísticas (e faturamento) do desenvolvedor.

Google Mobile App.

A web trouxe essa tendência antes devido à intersecção entre os grandes avanços na renderização de páginas e a ascensão do mobile. No início dos anos 2010, a web para computadores convencionais já era bastante robusta, mas a popularização dos dispositivos móveis, à época menos poderosos que suas contrapartes desktop e com o tráfego de dados bem mais caro e lento que as conexões de banda larga fixa, exigiu uma dieta de bytes.

Um carro que consome menos combustível tem um fator de venda atraente para potenciais consumidores.

O Google, grande gatekeeper da web, usou a sua força para direcionar o mercado de sites a páginas mais leves e responsivas. Hoje, a quantidade de dados que a requisição para o acesso a um site pede é um fator de peso no ranking de indexação do buscador.

Mesmo assim, o tamanho médio de uma página na web em 2016 bateu 2,5 MB, o que é bastante, dependendo do que o seu site exibe e quais funções ele oferece.

Apps pequenos convertem melhor

Micro Sd Memory Card With Finger

A Apple bloqueia a instalação de apps com mais de 100 MB por redes móveis (3G/4G). É um mecanismo que evita gastos inadvertidos com o plano de dados por parte usuários. Para quem desenvolve, esse teto deve ser visto como um limite a ser respeitado.

O limite de 100 MB para instalações em redes móveis foi implementado em 2013. Um ano antes, o tamanho médio de um app na App Store, a loja de aplicativos do iOS, era de 23 MB. Em 2016, a média dos 500 apps mais populares da mesma loja é de 73 MB.

Manter-se abaixo dos 100 MB é o mesmo que remover uma barreira para que o usuário instale o seu app. Redes 4G são rápidas o bastante para lidar com esse download sem demora, porém o limite artificial imposto pela Apple exige que esse usuário esteja numa conexão Wi-Fi se o app desejado for maior.

Nada garante que, caso não esteja no momento em que tente fazer o download, ele voltará num segundo momento, quando estiver conectado por Wi-Fi. Às vezes a oportunidade é única.

Outro fator considerável é que muitos ainda, especialmente em lugares como o Brasil, têm planos de dados bastante restritos — e qualquer excedente custa caro. Mitigar esse custo com a transferência é um passo importante para conquistar o usuário na App Store.

Exemplo prático

Para o Recode, a Segment fez um teste bem interessante. Eles compraram um app pequeno, sem marketing e com uma taxa de downloads constante, uma pequena calculadora de hipotécas de 3,3 MB, a fim de inchar o instalador artificialmente e observar o impacto do tamanho extra no número de downloads.

Usando álbuns da cantora Taylor Swift (!) escondidos no app, primeiro eles subiram o tamanho para 99 MB, depois para 123 MB e, por fim, 150 MB.

Elevar o tamanho do app de 3,3 MB para 99 MB, portanto ainda dentro do limite para baixá-lo em redes móveis, diminuiu a média de downloads diários em 43%.

Ao aumentar o app para 150 MB, a queda no número de downloads por dia caiu 66% em relação ao início dos testes.

tabela

Trata-se de um caso anedótico, mas a clareza dos resultados indica respaldo na ideia de que manter o tamanho do seu app pequeno é um bom negócio. Sendo assim, alguém perguntaria por que se faz apps grandes. Acontece que não é fácil entregar boas experiências consumindo poucos dados.

O que pesa?

Todos os componentes de um app pesam. Com o aumento das telas e de suas resoluções, as redes móveis mais rápidas que tornaram vídeo lugar comum em smartphones e as exigências de mercado, dependente de SDKs e códigos externos, conciliar tamanho e experiência se tornou algo bastante difícil.

O site App Size Calculator esmiuça alguns dos apps mais populares e fragmenta os seus componentes.

messenger

O Facebook Messenger, por exemplo, tem 129 MB, sendo 70% disso código puro. Entende-se: o tanto de recursos e o grau de controle que o Facebook anseia leva a essa situação.

Outro app popular enorme é o Snapchat, com 95 MB, 80% código. Com “apenas” 57% de código, o app do The New York Times é mais bem distribuído. Seus 36 MB são compostos por, entre outras coisas, 14,6% de fontes e 13,4% de imagens.

Existem saídas

Independentemente do app, sempre é possível otimizar. O próprio Facebook faz isso. Seus dois principais app, Facebook e Messenger, têm versões “Lite” para Android que pesam menos de 10 MB.

messenger-lite

Facebook Lite e Messenger Lite são experiências piores que os apps principais e carecem de alguns recursos, mas são mais leves, tanto para baixar quanto no uso, e preservam a experiência básica prometida.

Não à toa, o Facebook os oferecem em regiões onde o tráfego de dados é caro, a velocidade das conexões, lenta, e há a predominância de dispositivos simples, menos capazes de rodar os grandes e pesados apps principais.

Indo além, temos, ainda, apps pequenos, leves e que não comprometem a experiência. São trabalhos excepcionais de otimização e atenção ao detalhe, que resultam em apps minúsculos e, ao mesmo tempo, completos.

O Overcast, player de podcasts, é um bom exemplo. Ele tem apenas 8,5 MB. Mesmo para uma categoria que dispõe de apps relativamente pequenos (Pocket Casts tem 36 MB e Castro, 17 MB), ainda é um tamanho notável para um app que não deve em nada, em termos de recursos e qualidade, aos seus concorrentes.

tweetbot

Outro app que brilha na relação qualidade-tamanho é o Tweetbot 4, um cliente de Twitter para iOS, com apenas 12,5 MB. A título comparativo, o app oficial do Twitter na mesma plataforma tem 149 MB.

É mais caro, trabalhoso e cansativo oferecer apps altamente otimizados, mas é um custo que se paga na conquista e satisfação dos usuários. A One Day Testing te ajuda a chegar ao melhor equilíbrio entre tamanho e oferta de recursos, além de detectar áreas de otimização e dar outras dicas para melhorar o seu app. Entre em contato, peça um orçamento. =)