Copiar um site em versão desktop para o universo mobile não quer dizer que a experiência do usuário vai ser boa tanto quanto no computador. Já os aplicativos proporcionam outros tipos de interação e de uso para o cliente, que devem ser levados em consideração na hora de colocar sua marca na web. Então, qual a função de cada um deles e quando devemos usá-los?

comparação de um site responsivo e um não responsivo no mobile

(via developers.google.com)

Um aplicativo tem a função inicial de fidelizar um cliente que você já tem, oferecendo a ele a comodidade de poder entrar em contato com a sua empresa pelo celular ou até mesmo um serviço a mais. Enquanto isso, o site responsivo é a ferramenta que vai marcar sua presença on line e também te ajudar a capturar novos clientes, que posteriormente podem ser usuários do seu aplicativo.

Um aplicativo tem a função inicial de fidelizar um cliente que você já tem. O site responsivo é a ferramenta que vai te ajudar a capturar novos clientes.

Por onde começar? Site ou App?

Começar pelo site? Lançar primeiro o app? Publicar os dois ao mesmo tempo? Que a presença online é fundamental para qualquer empresa já está mais do que provado. O início depende do perfil da sua empresa e do seu público, então vamos analisar as características de cada plataforma.

A primeira informação que você deve considerar é que, ao procurar pela sua marca usando o celular, o consumidor espera ter facilidade e rapidez para encontrar. Por isso, o seu site deve se adaptar e ter uma versão mobile, a qual chamamos de site responsivo: ele se adequa ao celular do usuário, facilitando o uso. Falei um pouco sobre esse modelo nesse post aqui.

Responsive web design concept. Desktop computer, tablet pc, lap

Considere que, caso a busca resulte num site não otimizado para a versão mobile, dificultando o encontro de informações básicas, o consumidor pode imediatamente desistir e procurar pelo concorrente. Se ele nem encontrar sua marca, pode ser que nunca mais procure por ela.

Ter um bom site responsivo faz com que mais clientes sejam alcançados, seja pelo computador, pelo tablet, pelo smartphone ou pela SmartTV. Ele é a porta, o primeiro contato com os consumidores que te procuram.

Outra vantagem do site para o usuário é que ele não precisa ser baixado e não ocupará espaço na memória do celular, como um aplicativo. A maioria dos smartphones já vem com um navegador instalado, então se a questão pode ser resolvida por esse caminho, não há porque fazer download de um aplicativo. Um exemplo disso é quando precisamos encontrar o endereço de algum comércio – é muito difícil, senão impossível, que alguém baixe um aplicativo só pra saber onde fica sua empresa.

Por isso, garanta que seu site, além de responsivo, tenha todas as informações que seus clientes podem vir a procurar. Atente-se às perguntas mais feitas em seus canais de comunicação – elas podem já aparecer respondidas no seu site? Atente-se também às métricas para saber como as pessoas se comportam e o que mais buscam no seu site, para saber o que você pode melhorar.

Buscas “mobile-friendly”

Otimizar seu site tem mais uma vantagem: os resultados das buscas do Google dão prioridade para sites que tenham padrão mobile-friendly, ou seja, sites responsivos, já preparados para experiências em qualquer tipo e tamanho de tela. Por isso é muito importante testar seu site no máximo de dispositivos possíveis.

Para ajudar a melhorar seu site para que ele tenha bons resultados nas buscas do Google, o buscador disponibiliza para os desenvolvedores quais tópicos você precisa adaptar para ser mobile-friendly.

E se eu quiser lançar um app?

Se sua empresa já tem um site e está bem resolvida nessa parte, ela pode oferecer uma experiência diferente e mais rica para o usuário por meio de um aplicativo, um serviço que cative seu cliente ainda mais.

Aplicativos podem usar as funcionalidades tecnológicas e aproveitar o potencial e os recursos dos celulares, como os sensores, câmera, lanterna, notificações e até acelerômetro. É claro que seu site pode ser inovador, mas seu aplicativo pode abordar experiências únicas e cativar seus clientes.

Health And Fitness Apps On Apple Iphone 5S

Segundo o Google, o público de aplicativos é menor que o de sites: aproximadamente 7% dos consumidores baixam a app de uma empresa da qual são consumidores fiéis. O número é pequeno, mas a empresa deve dar bastante atenção a essas pessoas: são os clientes que compram com frequência e já escolheram a sua marca.

Aproximadamente 7% dos consumidores baixam a app de uma empresa da qual são consumidores fiéis.

Um fator importante para se considerar é que desenvolver uma app requer um investimento financeiro grande. Além disso, também segundo a Google, 95% dos aplicativos são abandonados em 30 dias e 1 em cada 4 deles é usado apenas uma vez. Por isso, além de pensar numa experiência que o seu cliente queira ter mais de uma vez e que seja relevante para ele, estude bem os cenários antes de lançar esse produto.

Aplicativos têm usos mais intensos que sites: seu produto é de uso diário ou pode oferecer um serviço assim? É um jogo ou rede social que as pessoas vão usar para entretenimento? Sua proposta de interação pode ser feita pelo site? Se você ainda estiver em dúvida, consulte esse post: nele explico quando desenvolver ou não desenvolver uma app e o que você pode melhorar nela antes de publicá-la.

Resumindo…

Comece criando ou melhorando o seu site, com as informações de contato claras. Ele será a porta de entrada para todos os seus atuais e futuros clientes. Garanta que ele seja responsivo e ofereça uma boa experiência mobile. E se sua empresa tem mais conteúdo ou interações para propor, desenvolva também o seu aplicativo.

Podemos te ajudar a decidir! Estou disposto a tirar suas dúvidas e analisar o seu projeto. Basta enviar um e-mail para julio.viegas@sofist.com.br ou ligue em (19) 3291-5321 para conversarmos. Será um prazer ajudá-lo! =)